Caloi Poti com alma francesa, a Pierre

pierre_antDep_01

A Caloi Poti da Tereza que ficou francesinha. (Foto Raquel Espírito Santo)

Um dia a Tereza me viu conversando com um amigo na rua sobre o Studio VILA.. No meio da conversa ela disse que tinha uma bike velha mal usada e abandonada na casa da mãe. Quis saber se eu não queria reforma-la. Eu quis. Depois de descobrir do que se tratava(!!!), começamos a saga para deixa-la boa e bonita para a nossa cidade. Um pingo de ‘elegância e modernidade’ francesa, um pitaco de flores e materiais de primeira deixaram a Pierre incrível para sair por aí de mala e cuia. Dá para ir ao mercado, dá para passear na ciclo-faixa e dá para dormir na casa do namorado.

CONFORTO E DURABILIDADE

Em uma viagem à Europa, sugeri que aproveitasse para comprar alguns acessórios, melhor que importar. Ela trouxe na mala o clássico banco e a cestinha da inglêsa Brooks e os Alforges da coleção Katharina da marca holandesa Basil. O resto, adaptaríamos, luzes clássicas, bagageiro.. Itens úteis e charmosos. Para diminuir peso e componentes, câmbio Shimano Nexus de 3 velocidades com freio contra-pedal, embutido no câmbio traseiro. Além de novos pedais, descanso – o famoso pezinho, luzes e buzina.

pierre_antDep_03

O banco da marca inglesa Brooks que vai durar para sempre. Os freios traseiros a ferradura saíram. agora temos alforges e bagageiros acima da roda traseira. (Foto Raquel Espírito Santo)

pierre_antDep_04

Câmbio Shimano Nexus de 3 velocidades com freio contra-pedal; o charme dos Alforges ‘Katharina’ e o famoso banco de couro feito à mão na Inglaterra da Brooks. (Foto Raquel Espírito Santo)

Pierre antes e depois

Detalhes tão pequenos. Manopla de couro, buzina, farol vintage, paralamas.. detalhes tão pequenos. (Foto Raquel Espírito Santo)

TENTATIVAS E ERROS

Mas Pierre passou por poucas e boas antes de ser finalizada. Ela foi a segunda bike feita no Studio, pintada por mim e sujeita, portanto, à complicações. Foi refeita três vezes. Caetano refez a assinatura mais de duas vezes até que ficássemos satisfeito com a cor final. Nesse vai e vem muita coisa aconteceu mas ela ficou ali, no forno, na brasa. E aí a gente prova que mesmo dando errado, sendo difícil, a felicidade de vê-la pronta é inenarrável. Foi um parto, tem dor, tem choro mas tem uma vida toda..

pierre_antDep_05

Pierre montando