Amelie, uma Ceci com acessórios premium

O Dani é apaixonado pela Nath desde a primeira vez que a viu. Nathalie não foi um plano, chegou de surpresa. Eles se conheceram, enamoraram e num belo 12 de dezembro ao meio dia, se casaram.

Amelie não estava nos planos.  Haveria de ser algo especial, singular. De parar o trânsito & com sotaque francês. Seria um presente surpresa de aniversário da Nath, francesa autêntica, alguns dezembros depois. Dessa vez o dia era o segundo do mês.

Ceci restaurada com acessórios premium / Foto Raquel Espírito Santo

Ceci restaurada com acessórios premium / Foto Raquel Espírito Santo

Começamos a corrida contra o tempo com uma clássica Ceci que estava encostada. Charme nacional e sabedoria de causa francesa. Bicicleta não é brincadeira para uma cycliste. A cor preta inspirada nas Dutch bikes. Os para-lamas seguem na mesma cor como traços de nankin por cima dos pneus.

Falando em pneus, estes cor de crème fraîche foram importados dos Estados Unidos. No mesmo tom, manoplas Brooks Slender Grips de lona que viajou um Oceano até chegar no Brasil. O banco também é da inglesa Brooks, um tom acima e para fechar, cestinha de vime que chegou cheia de dalias na casa da Nath. Os aróis e a buzina cromados vieram de Amsterdam para completar o kit duth-inspired.

O grande destaque da Amelie é o conjunto mesa e guidão. A Nath tem mais de 1.70m, é uma mulher alta. Para guiar com conforto, usei uma mesa mais alta e reta do que as que encontramos no mercado nacional – a mesa é inglesa e o guidão estilo ‘North Road’, muito usado no interior daquele país. A altura e o ângulo da manopla são essenciais para o conforto da Amelie.

Amelie, a Caloi Ceci restaurada com acessórios premium, por Studio Vila Foto Raquel Espírito Santo

Mesa alta e guidão “bigode” / Foto Raquel Espírito Santo

A bike tem ainda pedais, bagageiro, pezinho e sistema de freio originais restaurados e cromados. Na roda traseira, o upgrade: câmbio Shimano Nexus 3 embutido no cubo. Nas Cecis que tenho montado no Studio Vila, algumas saem originais, sem marcha, e outras saem com 3 velocidades. Levando em conta os trajetos que faço pela cidade, o peso da bicicleta e do ciclista esta é minha aposta: dá pra se virar bem com 3 marchas e uma perna treinada. Força, mulherada!

Foto Raquel Espírito Santo

Foto Raquel Espírito Santo

A Nath voltou do primeiro dia de pedalagem com um sorrisão no rosto e a bunda dura do couro novo. O Brooks é um banco de couro de grande qualidade, uma peça que vai durar. Como um bom sapato, você deve estar disposta a amaciá-lo. Já ouvi relatos que ela ganhou um fiu-fiu por onde passou. Surpresa é sembre bom, né?

Foto Raquel Espírito Santo